Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/07/19 às 8h38 - Atualizado em 29/07/19 às 8h38

Mais uma Ação de regularização é realizada pela Seagri

COMPARTILHAR

 

Foi realizada nesta quinta-feira (25), no núcleo rural Café sem Troco, em Planaltina (DF), mais uma Ação de Regularização Fundiária. A iniciativa é da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri/DF), através da Subsecretaria de Regularização Fundiária e da Central de Regularização, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/DF), a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH).

 

Essa ação visa atender os produtores rurais e moradores dos núcleos rurais de Várzea e Quebrada dos Neres. O objetivo é levar informações e tirar dúvidas sobre a regularização das terras rurais do DF.

 

Durante a ação foram realizados cerca de 40 atendimentos e 18 pessoas deram entrada no processo de regularização.

Segundo o Subsecretário de Regularização Fundiária da Seagri/DF, Vilmar Ângelo, naquela região, segundo mapeamento realizado pela gerência de operações especiais da Subsecretaria de Regularização, foi identificado que boa parte dos produtores dessas duas comunidades ainda não tinham dado entrada ao processo de regularização.

 

“Esse tipo de ação é muito importante para aproximar a Secretaria de Agricultura e a Subsecretaria de Regularização Fundiária do produtor rural. Trazer o produtor para próximo da regularização, notadamente aqueles que ainda não ingressaram com o processo, é muito importante. Essas ações setoriais nos núcleos rurais, para levar informações ao produtor, aproximar a Secretaria de Agricultura do setor produtivo, são muito relevantes. Essa é a função dessas ações de regularização”, afirmou Vilmar.

 

Ele lembrou ainda, que é muito importante o produtor ficar atento ao prazo do processo de regularização, que vai até o dia 15 de abril de 2020.

 

Segundo moradores dos núcleos rurais atendidos nessa ação, os órgãos envolvidos na regularização estarem perto do morador do campo facilita muito, principalmente para o pequeno produtor. Para eles, o documento é um comprovante que eles têm da posse da terra, além de ser uma garantia.

 

Texto e foto: Ascom Seagri/DF