Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/04/20 às 10h10 - Atualizado em 8/06/20 às 14h31

Primeira etapa da campanha de vacinação contra Febre Aftosa de 2020

COMPARTILHAR

 

 

ATENÇÃO!

O prazo da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa foi prorrogado até o dia 12 de junho.

O prazo para a declaração também foi estendido e agora vai até o dia 30 de junho.

 

 

A primeira etapa da campanha de vacinação contra Febre Aftosa de 2020 teve início no dia 01 de maio e finalizará no dia 12 de junho. Durante o período deverão ser vacinados os bovinos e bubalinos de todas as idades. A comprovação da vacinação deverá ser realizada até o dia 30 de junho de 2020.

 

Devido à pandemia da COVID-19, foram estabelecidos novos procedimentos para compra das vacinas nas lojas agropecuárias e apresentação da declaração junto ao Serviço de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura do DF (Seagri).

 

COMPRA DAS VACINAS

As vacinas poderão ser vendidas por canal de comunicação não presencial, como telefone e e-mail, com entrega diretamente nas propriedades ou retirada na loja sem sair do veículo (sistema drive thru). Sindicato rural, cooperativas, caminhão de leite, entre outros, também estão autorizados a fazer as entregas. Em todos os casos, o transporte deve ser feito em caixas de isopor com gelo para conservação das vacinas na temperatura ideal.

 

 

 

No Distrito Federal, temos 21 lojas agropecuárias autorizadas a revender vacinas contra febre aftosa e orientadas sobre os novos procedimentos para comercialização durante a pandemia. Clique aqui e confira a lista.

 

 

DECLARAÇÃO DA VACINAÇÃO

As declarações da vacinação, nesta campanha, deverão ser realizadas de forma on-line, preferencialmente por meio do sistema Sidagro Produtor, no caso de vacinas adquiridas em revendas autorizadas no Distrito Federal (Confira a relação acima).

 

Os produtores que ainda não possuem acesso ao Sidagro Produtor podem solicitar o seu cadastro por e-mail ou WhatsApp, em um dos canais de atendimento abaixo relacionados:

 

 

 

Também será possível comprovar a vacinação por e-mail ou WhatsApp, devendo ser enviada, preferencialmente para a unidade de atendimento onde habitualmente entrega sua declaração, foto ou PDF do formulário “Declaração do criador”, preenchido e assinado, e da nota fiscal de compra das vacinas.

 

O formulário encontra-se disponível clicando aqui, podendo ser obtido também nas revendas de vacina do Distrito Federal.

 

 

O documento deverá ser cuidadosamente preenchido após a vacinação do rebanho, discriminando a quantidade de animais existentes e vacinados, de acordo com o sexo e a idade, e assinado, antes do envio, por e-mail ou WhatsApp.

 

ATENÇÃO: Não haverá recebimento de declarações presencialmente nos escritórios da Defesa Agropecuária da Seagri.

 

A vacinação é obrigatória e de responsabilidade dos proprietários de bovídeos. Enquanto não imunizar e não declarar a vacinação os animais, o produtor não tem permissão para transitar com o rebanho e comercializar os produtos cárneos e lácteos obtidos de sua criação.

 

 

 

No caso de dúvidas, o produtor deve entrar em contato com um dos escritórios da Defesa Agropecuária, em um dos telefones abaixo informados:

 

 

 

CUIDADOS NA VACINAÇÃO DOS ANIMAIS

Para que o rebanho fique protegido contra febre aftosa, os criadores devem:

– manter as vacinas e seringas no gelo até o momento da aplicação, protegidas da exposição direta à luz;

– escolher a hora mais fresca do dia para reunir o gado;

– usar agulhas novas e limpas para vacinação, de preferência do tamanho 15mm por 18mm, e trocar a agulha após a vacinação de cada cinco a no máximo dez animais;

– agitar o frasco antes de aplicar a vacina;

– aplicar 2ml da vacina por animal, na tábua do pescoço, embaixo da pele ou dentro do músculo.

 

SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA
Para mais informações sobre febre aftosa e doenças vesiculares clique aqui e confira.